Molhos agridoce e hortelã

Dois molhos para serem servidos ao lado de vários pratos. De um, eu gosto muito, o agridoce chinês. O outro, o de hortelã, não aprecio tanto, mas ele é bastante popular, principalmente nas churrascarias, onde sempre é apresentado para acompanhar os cordeiros.

Agridoce
agri
O molho agridoce é um clássico da cozinha chinesa tal qual é interpretada pelos restaurantes de São Paulo e que tem muitas utilidades. Nas casas chinesas, este molho agridoce costuma acompanhar a carne de porco frita e também os célebres camarões empanados. Fica ótimo ainda com o guioza, aquela massa recheada chinesa, que evoca um ravióli.
No dia-a-dia, se dá bem com bifes à milanesa, em vários pratos com frangos (empanado, espetinhos, frito, etc.) com assados, principalmente os de carne de porco, como lombo e pernil.
Ingredientes:
1 xícara de chá de vinagre de vinho branco;
3 colheres de sopa de extrato de tomate (massa de tomate);
1 colher de sopa de molho inglês (Worcestershire sauce);
4 colheres de sopa de água;
3 colheres de sopa rasas de açúcar;
½ colher de chá de sal e
¼ de uma colher de café de pimenta calabresa (a pimenta vermelha seca, que é opcional, para quem gosta do paladar picante).
Modo de fazer:
Misture todos os ingredientes e leve ao fogo. Espere abrir fervura, retire e reserve. Está pronto.
Hortelã
hot
O molho de hortelã tem sabor marcante demais para acompanhar a carne dos cordeiros, animais mais novos, de sabor delicado. Em todo caso, tem mesmo muitos apreciadores. Ele deve ter origem inglesa e deveria ser mais útil quando acompanhava carnes de sabor mais pronunciado de carneiros já velhos.
Já fiz várias vezes esta receita do grande mestre da cozinha clássica francesa, Auguste Escoffier, que aprendi do excelente livro Madame Benoit´s Lamb Cookbook. Rende uma xícara de chá de molho.
Ingredientes:
¼ de xícara de chá de água;
3 colheres de sopa de açúcar mascavo;
1/3 de xícara de chá de hortelã bem picadinha e
½ xícara de chá de vinagre de vinho tinto de boa qualidade.
Modo de fazer:
Misture a água com o açúcar mascavo e leve ao fogo brando. Vá mexendo até o açúcar dissolver totalmente. Apague o fogo e acrescente a hortelã picada e o vinagre. Misture bem, tampe e deixe descansar durante duas a quatro horas.
Compartilhar no Google Plus

About Pr joão Monteiro

Postar um comentário

Obrigado Pela Sua Visita

Membra-se na rede

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Molhos agridoce e hortelã

Dois molhos para serem servidos ao lado de vários pratos. De um, eu gosto muito, o agridoce chinês. O outro, o de hortelã, não aprecio tanto, mas ele é bastante popular, principalmente nas churrascarias, onde sempre é apresentado para acompanhar os cordeiros.

Agridoce
agri
O molho agridoce é um clássico da cozinha chinesa tal qual é interpretada pelos restaurantes de São Paulo e que tem muitas utilidades. Nas casas chinesas, este molho agridoce costuma acompanhar a carne de porco frita e também os célebres camarões empanados. Fica ótimo ainda com o guioza, aquela massa recheada chinesa, que evoca um ravióli.
No dia-a-dia, se dá bem com bifes à milanesa, em vários pratos com frangos (empanado, espetinhos, frito, etc.) com assados, principalmente os de carne de porco, como lombo e pernil.
Ingredientes:
1 xícara de chá de vinagre de vinho branco;
3 colheres de sopa de extrato de tomate (massa de tomate);
1 colher de sopa de molho inglês (Worcestershire sauce);
4 colheres de sopa de água;
3 colheres de sopa rasas de açúcar;
½ colher de chá de sal e
¼ de uma colher de café de pimenta calabresa (a pimenta vermelha seca, que é opcional, para quem gosta do paladar picante).
Modo de fazer:
Misture todos os ingredientes e leve ao fogo. Espere abrir fervura, retire e reserve. Está pronto.
Hortelã
hot
O molho de hortelã tem sabor marcante demais para acompanhar a carne dos cordeiros, animais mais novos, de sabor delicado. Em todo caso, tem mesmo muitos apreciadores. Ele deve ter origem inglesa e deveria ser mais útil quando acompanhava carnes de sabor mais pronunciado de carneiros já velhos.
Já fiz várias vezes esta receita do grande mestre da cozinha clássica francesa, Auguste Escoffier, que aprendi do excelente livro Madame Benoit´s Lamb Cookbook. Rende uma xícara de chá de molho.
Ingredientes:
¼ de xícara de chá de água;
3 colheres de sopa de açúcar mascavo;
1/3 de xícara de chá de hortelã bem picadinha e
½ xícara de chá de vinagre de vinho tinto de boa qualidade.
Modo de fazer:
Misture a água com o açúcar mascavo e leve ao fogo brando. Vá mexendo até o açúcar dissolver totalmente. Apague o fogo e acrescente a hortelã picada e o vinagre. Misture bem, tampe e deixe descansar durante duas a quatro horas.
Postar um comentário