Riquezas em benefício aos pobres (Lc 12:33-34)

E eu vos recomendo: das riquezas de origem iníqua fazei amigos; para que, quando aquelas vos faltarem, esses amigos vos recebam nos tabernáculos eternos." Lucas 16:9Nos versos 1-8 deste capitulo, temos a parábola do administrador infiel, que utiliza recursos indevidos para fazer amigos e assegurar o seu futuro na Terra. Por isso no verso 9, Cristo menciona o uso de riquezas de origem iníqua, cujo acúmulo quase sempre ocorre de forma injusta, em detrimento dos menos favorecidos (Tg 5:1-6). Nesse contexto entendemos que devemos fazer amigos usando essas riquezas em benefício aos pobres (Lc 12:33-34), pensando nos tabernáculos eternos e determinados a assegurar nosso futuro no Céu, do mesmo modo que o administrador infiel estava determinado a assegurar o seu futuro na Terra.



Nos versos 1-8 deste capitulo, temos a parábola do administrador infiel, que utiliza recursos indevidos para fazer amigos e assegurar o seu futuro na Terra. Por isso no verso 9, Cristo menciona o uso de riquezas de origem iníqua, cujo acúmulo quase sempre ocorre de forma injusta, em detrimento dos menos favorecidos (Tg 5:1-6). Nesse contexto entendemos que devemos fazer amigos usando essas riquezas em benefício aos pobres (Lc 12:33-34), pensando nos tabernáculos eternos e determinados a assegurar nosso futuro no Céu, do mesmo modo que o administrador infiel estava determinado a assegurar o seu futuro na Terra.

É necessário que ela cresça e eu diminua João 3:30
Compartilhar no Google Plus

About Pr joão Monteiro

Postar um comentário

Obrigado Pela Sua Visita

Membra-se na rede

domingo, 22 de maio de 2016

Riquezas em benefício aos pobres (Lc 12:33-34)

E eu vos recomendo: das riquezas de origem iníqua fazei amigos; para que, quando aquelas vos faltarem, esses amigos vos recebam nos tabernáculos eternos." Lucas 16:9Nos versos 1-8 deste capitulo, temos a parábola do administrador infiel, que utiliza recursos indevidos para fazer amigos e assegurar o seu futuro na Terra. Por isso no verso 9, Cristo menciona o uso de riquezas de origem iníqua, cujo acúmulo quase sempre ocorre de forma injusta, em detrimento dos menos favorecidos (Tg 5:1-6). Nesse contexto entendemos que devemos fazer amigos usando essas riquezas em benefício aos pobres (Lc 12:33-34), pensando nos tabernáculos eternos e determinados a assegurar nosso futuro no Céu, do mesmo modo que o administrador infiel estava determinado a assegurar o seu futuro na Terra.



Nos versos 1-8 deste capitulo, temos a parábola do administrador infiel, que utiliza recursos indevidos para fazer amigos e assegurar o seu futuro na Terra. Por isso no verso 9, Cristo menciona o uso de riquezas de origem iníqua, cujo acúmulo quase sempre ocorre de forma injusta, em detrimento dos menos favorecidos (Tg 5:1-6). Nesse contexto entendemos que devemos fazer amigos usando essas riquezas em benefício aos pobres (Lc 12:33-34), pensando nos tabernáculos eternos e determinados a assegurar nosso futuro no Céu, do mesmo modo que o administrador infiel estava determinado a assegurar o seu futuro na Terra.

É necessário que ela cresça e eu diminua João 3:30
Postar um comentário