Adeptos da causa LGBT rompem com Marina Silva A alteração no plano de governo gerou indignação entre os ativistas que apoiavam a ex-senadora

Adeptos da causa LGBT rompem com Marina Silva

O secretário nacional do comitê LGBT do PSB, Luciano Freitas, resolveu retirar seu apoio à candidata Marina Silva por conta das alterações que o partido fez no plano de governo.
Freitas foi um dos responsáveis pela elaboração da pauta que pedia, entre outras coisas, a aprovação do PLC 122/2006, a liberação do casamento entre pessoas do mesmo sexo, e a distribuição do chamado “kit gay” nas escolas públicas.
O plano de governo do PSB foi divulgado na sexta-feira passada (29) com as tais propostas descritas, mas no dia seguinte o partido precisou se manifestar para dizer que houve uma falha e que muitos desses projetos não faziam parte do projeto final da legenda.
Freitas garante que não irá mais pedir votos para Marina e que vai se concentrar na candidatura do governo de Pernambuco indicando o candidato Paulo Câmara e as deputadas da legenda que defendem os direitos humanos.
O ativista e a advogada Giowana Cambrone, delegada nacional da Rede Sustentabilidade – partido que Marina Silva tentou criar e teve o registro negado – garantem que as propostas alteradas eram de conhecimento e aprovação do PSB.
“Fomos surpreendidos por uma alteração chamada de errata pela coordenação. Nos sentimos frustrados e, obviamente, a reação foi de desagrado”, disse Marcio Sales, da Rede. Com informações Folha de SP.
VERDADE GOSPEL
Compartilhar no Google Plus

About Pr joão Monteiro

Postar um comentário

Obrigado Pela Sua Visita

Membra-se na rede

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Adeptos da causa LGBT rompem com Marina Silva A alteração no plano de governo gerou indignação entre os ativistas que apoiavam a ex-senadora

Adeptos da causa LGBT rompem com Marina Silva

O secretário nacional do comitê LGBT do PSB, Luciano Freitas, resolveu retirar seu apoio à candidata Marina Silva por conta das alterações que o partido fez no plano de governo.
Freitas foi um dos responsáveis pela elaboração da pauta que pedia, entre outras coisas, a aprovação do PLC 122/2006, a liberação do casamento entre pessoas do mesmo sexo, e a distribuição do chamado “kit gay” nas escolas públicas.
O plano de governo do PSB foi divulgado na sexta-feira passada (29) com as tais propostas descritas, mas no dia seguinte o partido precisou se manifestar para dizer que houve uma falha e que muitos desses projetos não faziam parte do projeto final da legenda.
Freitas garante que não irá mais pedir votos para Marina e que vai se concentrar na candidatura do governo de Pernambuco indicando o candidato Paulo Câmara e as deputadas da legenda que defendem os direitos humanos.
O ativista e a advogada Giowana Cambrone, delegada nacional da Rede Sustentabilidade – partido que Marina Silva tentou criar e teve o registro negado – garantem que as propostas alteradas eram de conhecimento e aprovação do PSB.
“Fomos surpreendidos por uma alteração chamada de errata pela coordenação. Nos sentimos frustrados e, obviamente, a reação foi de desagrado”, disse Marcio Sales, da Rede. Com informações Folha de SP.
VERDADE GOSPEL
Postar um comentário